A Comissão Europeia anunciou, a 26 de novembro, a adoção de um Plano de Investimento de 315 mil milhões de EUR para reinstaurar o crescimento na Europa e ajudar mais pessoas a regressar ao trabalho. O Plano assenta em três vertentes principais: na  criação de um novo Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, na criação de uma reserva de projetos credível,  e num roteiro ambicioso para tornar a Europa mais atrativa para o investimento e eliminar estrangulamentos de natureza legal. Saiba mais aqui.

A BUSINESSEUROPE, num breve Comunicado de Imprensa, considera que este plano de investimento é um primeiro passo importante, mas o seu sucesso dependerá de passos mais ambiciosos que se seguirão.  No dia anterior, a BUSINESSEUROPE publicou um documento com as suas expectativas relativamente a este Plano de Investimento, explicitando, por um lado, os princípios que deverão ser seguidos na execução deste Plano e, por outro lado, os obstáculos que importa serem combatidos para melhorar os resultados do investimento de longo prazo.

A CIP esteve envolvida na elaboração deste documento, que defende que o principal objetivo do Plano deve ser o aumento do investimento privado, mas reconhece igualmente que o investimento público, dirigido à melhoria da competitividade, tem um importante papel a desempenhar.
A CIP procurou que a BUSINESSEUROPE transmitisse claramente a necessidade de políticas orçamentais mais favoráveis ao crescimento, reduzindo a carga fiscal, num contexto em que os baixos níveis de investimento na Europa são consequência das baixas expectativas de evolução da procura.
Os problemas específicos das PME, nomeadamente no acesso ao financiamento, mereceram também particular atenção por parte da CIP.
A CIP defendeu ainda a prioridade do desenvolvimento das interconexões das redes de transporte de gás e eletricidade.
Relativamente à mobilização dos fundos europeus, a BUSINESSEUROPE partilhou com a CIP a preocupação pela adoção de metas adequadas, focalizadas nos méritos dos projetos e que não penalizem as empresas promotoras pela ocorrência de fatores que escapam ao seu controlo.

Sobre este plano, o Presidente da CIP declarou: “É fundamental que a UE promova medidas que venham a fomentar o crescimento económico. O ‘plano Juncker’ vem tentar responder a esse desafio. Mais importante que as boas intenções é a concretização no terreno, a operacionalização”.