2015 será um ano crucial para as relações UE – China por diversas razões: pela expectativa de progresso nas negociações do Acordo de Investimento Bilateral UE-China; por a UE ir decidir sobre a concessão à China do estatuto de economia de mercado (MES); e pela comemoração do 40º aniversário das relações bilaterais UE-China.

Como forma de noticiar o evento, a BUSINESSEUROPE publicou o relatório “EU-China Relations 2015 and Beyond”, que:

– destaca as tendências do comércio e investimento em oito setores;
– alude à agenda de reforma da China e os assuntos prioritários que, segundo a BUSINESSEUROPE, a China deveria abordar;
– avalia e atualiza as recomendações apresentadas pela BUSINESSEUROPE, no seu relatório de 2011, tendo em conta as principais dificuldades que as empresas enfrentam nas relações comerciais e empresariais com a China.

Referindo-se ao relatório, Markus J. Beyrer (Director Geral da BUSINESSEUROPE) admitiu a existência de alguns desenvolvimentos positivos na China desde 2011. Acrescentou, no entanto, que persistem dificuldades em áreas-chave, tais como:

– restrições ao investimento e à propriedade estrangeira;
– acesso aos contratos públicos;
– normas nacionais divergentes;
– deficiente exigibilidade no cumprimento dos DPI.

O mesmo Director-Geral referiu que algumas destas questões podem ser abordadas nas atuais negociações do acordo bilateral de investimento, devendo manter-se um elevado nível de ambição nos dossiers do acesso ao mercado e da proteção do investimento.