O Presidente Jean Claude Juncker fez o seu primeiro discurso do estado da União Europeia no passado dia 9 de Setembro no Parlamento Europeu, “É tempo da Honestidade, da União e da Solidariedade”, “…a União Europeia não se encontra em bom estado. Há falta de Europa nesta União. E não há União suficiente nesta União. Impõe-se mudar esta situação. E há que fazê-lo agora.”, refere Juncker.

Neste discurso, Juncker é claro nas suas considerações politicas sobre as crises que assolam a Europa, deixando as propostas para 2016 para uma carta que endereçou no mesmo dia ao PE. O discurso é assim principalmente dedicado à crise dos refugiados, à Grécia e às exigências do Reino Unido, em particular a redução da burocracia e a conclusão das negociações da Parceria Transatlântica para o Comercio e Investimento (TTIP), mas não esquece o problema do desemprego e a necessidade de investimento e crescimento.
Na carta dirigida ao PE, a Comissão Europeia define 10 temas prioritários e várias propostas especificas, das quais se salientam de forma não exaustiva: a implementação do Plano para o investimento na Europa; medidas de apoio à reintegração de desempregados de longa duração e uma “skills agenda” para a Europa; proteção de dados, regras de copyright, geo-blocking, modernização das regras de IVA no comercio eletrónico, diretiva “Cabo e Satelite”, Diretiva Serviços de Audiovisual, iniciativas “European CLoud; propostas legislativas no âmbito dos mercados de eletricidade e gás; Estratégia para o Mercado Interno, Labour Mobility package, Plano de acção para o mercado Único de capitais, entre outros.

Conheça as prioridades da Comissão para 2016 na carta enviada pelo Presidente da Comissão Europeia ao Parlamento Europeu aqui

Leia o discurso aqui