António Saraiva anunciou, no fim da reunião da Concertação Social que teve lugar no passado dia 22 de dezembro, que foi alcançado o acordo entre Governo e Parceiros Sociais. “Finalmente temos um acordo de médio prazo para a melhoria da competitividade”. Foi desta forma que o Presidente da CIP anunciou o acordo há muito esperado.

O Governo e os parceiros sociais, à exceção da CGTP, chegaram a acordo, e o salário mínimo sobe para os 557 euros já a partir de janeiro. Em contrapartida, a TSU desce 1,25p.p. a partir do dia 31 de janeiro. O presidente da Confederação Empresarial de Portugal falou ao país após a conclusão da reunião da Concertação Social e explicou as conclusões da mesma.

Questionado sobre que trabalhadores serão abrangidos pela nova norma, António Saraiva explicou que o novo salário mínimo nacional será para “todos aqueles que têm hoje entre 530 e 557 euros”. “Será calendarizado um conjunto de ações para a verificação de uma evolução do salário mínimo mas sem definir valores, para que não se fique com um horizonte desta ou daquela expectativa”, explicou o Presidente da CIP, reiterando que este acordo é apenas para 2017. António Saraiva destaca no entanto que a única coisa que está garantida é “ uma metodologia de avaliação do valor do salário mínimo nacional ” e que para os patrões continua a ser necessária “estabilidade fiscal” e “estabilidade laboral”.