No seu Economic Outlook do outono de 2016, relatório que contou com a contribuição da CIP, a BusinessEurope, espera que a modesta recuperação económica na Europa prossiga nos próximos meses, apesar da ligeira revisão em baixa das perspetivas de crescimento em 2016 (para 1.9% na União Europeia e 1.7% na zona do euro). O consumo deverá permanecer o principal motor do crescimento e espera-se que o investimento recupere na segunda metade deste ano.

A revisão, também em baixa, das projeções económicas para 2017 (para 1.6% na União Europeia e 1.5% na zona do euro) está relacionada em particular com a probabilidade de um abrandamento da economia britânica e da redução das exportações para o Reino Unido, sob o impacto da apreciação do euro relativamente à libra. Na análise que faz do impacto do Brexit, a BusinessEurope conclui também por riscos de longo prazo para as economias britânica e da União Europeia.

Em termos de política económica, a BusinessEurope apela à manutenção de um relacionamento económico tão próximo quanto possível entre a União Europeia e o Reino Unido, mas sem pôr em causa a integridade do mercado único. Rejeitam-se, assim, compromissos que conduzam a uma Europa “à la carte”.

A BusinessEurope recomenda ainda a conclusão de acordos de comércio livre globais (incluindo o TTIP), a continuação de reformas estruturais, o foco em investimentos favoráveis ao crescimento e a consolidação orçamental, nos países em que se revele necessária, no quadro da flexibilidade permitida pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento.

A proposta de extensão do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos merece o apoio da BusinessEurope, mas deverá haver uma maior atenção à adicionalidade do investimento e à sua cobertura geográfica.

Conheça o documento na íntegra aqui.