A CIP – Confederação Empresarial de Portugal encara com preocupação crescente os dados das contas públicas nacionais, divulgados hoje pelo INE, que dão conta de um significativo abrandamento da procura interna e das exportações.

Notamos que o crescimento apenas se manteve nos mesmos valores do primeiro trimestre devido à forte desaceleração das importações e registamos que o Valor Acrescentado Bruto da economia portuguesa estagnou face ao segundo trimestre do ano passado.

Para o presidente da CIP, António Saraiva, um fator especialmente negativo na informação divulgada é o aprofundamento da queda do investimento. “Por isso, reafirmo que a prioridade da política económica, com necessário reflexo no Orçamento do Estado para 2017, deve ser o estímulo ao investimento e à competitividade”, sublinha.

Aceda aqui ao documento na integra.