Sob iniciativa da Confederação Polaca de Empregadores Privados – Lewiatan, a CIP foi uma de oito organizações a subscrever uma carta sobre a possibilidade de a Comissão Europeia proceder à revisão da Diretiva 96/71/CE, relativa ao destacamento de trabalhadores no âmbito de uma prestação de serviços.

Com a eventual revisão desta Diretiva, a Comissão pretende inserir o princípio de “pagamento igual, para trabalho igual, no mesmo local”, o que, na posição defendida pela CIP em conjunto com as restantes organizações, prejudicará a livre-circulação de serviços e a competitividade. Adicionalmente, tal alteração causará perturbação ao nível das empresas, ao levar a desequilíbrios de remuneração entre trabalhadores que, embora pertençam à mesma entidade e exerçam as mesmas funções, o façam em países diferentes.

As organizações subscritoras da carta defendem, portanto, que em vez de proceder à alteração da Diretiva, a Comissão Europeia deve apenas concentrar-se na plena implementação da referida Diretiva, relativa à execução da Diretiva relativa ao destacamento de trabalhadores, dado que a sua correta aplicação pode melhorar a situação dos trabalhadores destacados, sem que haja qualquer carga adicional sobre as empresas que providenciam serviços no estrangeiro.