Conferência “A Saúde é uma prioridade para Portugal?”

  Categoria: Destaque, Notícias

2017-11-09_conferencia_saude

 

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal, a Ordem dos Médicos e a Ordem dos Farmacêuticos promoveram no dia 9 de novembro, no Centro Cultural de Belém, Lisboa, a conferência “A Saúde é uma prioridade para Portugal?”.

A abertura da conferência foi conduzida por António Saraiva, Presidente da CIP e Miguel Guimarães, Bastonário da Ordem dos Médicos. Ali Karami Ruiz, Director Business at OECD, Health Policy, Communications, and International Affairs. Sherpa to the B20, foi o keynote speaker da sessãoO encerramento da iniciativa ficou a cargo de Jorge Penedo, Vice-Presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, Ana Paula Martins, Bastonária da Ordem dos Farmacêutico, João Almeida Lopes, Presidente do Conselho Estratégico Nacional da Saúde da CIP, e Manuel Delgado, Secretário de Estado da Saúde.

O painel de discussão “A SAÚDE É UMA PRIORIDADE PARA PORTUGAL?”, moderado pelo jornalista Pedro Pinto, contou com a participação de João Almeida Lopes, Presidente da APIFARMA – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica, José de Matos Rosa, Presidente da Comissão Parlamentar de Saúde, Óscar Gaspar, Presidente da APHP – Associação Portuguesa da Hospitalização Privada, Paulo Duarte, Presidente da ANF – Associação Nacional de Farmácias, e Vítor Neves, Presidente da Europacolon Portugal, Apoio ao Doente com Cancro Digestivo.

António Saraiva afirmou que “os portugueses dificilmente compreenderão que o Orçamento para a Saúde continue a ignorar o crescimento do país”. Acrescentou que o futuro da Saúde deveria “constituir uma prioridade nacional”, ideia defendida “de forma clara, pelo Presidente da República e pelas oito ordens de profissionais da Saúde”, disse. O presidente da CIP fez ainda referência ao relatório do Conselho Nacional de Saúde e ao parecer do Conselho Económico e Social sobre o Orçamento do Estado para 2018 para exigir um reforço da dotação para a Saúde, por forma a criar condições para que “o país tenha um Sistema de Saúde de qualidade, mais equitativo e mais eficiente”.

Miguel Guimarães (Ordem dos Médicos), Ana Paula Martins (Ordem dos Farmacêuticos), João Almeida Lopes (APIFARMA), José de Matos Rosa (Comissão Parlamentar de Saúde) e Paulo Duarte (Associação Nacional de Farmácias) defenderam que o subfinanciamento crónico da Saúde, a prazo, agudizará as barreiras no acesso aos cuidados de Saúde, marcadas por uma clivagem socioeconómica.

 

Para ver galeria de fotos clicar na imagem em baixo.

 

 

 

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn