Categoria: Notícias



Mercadona prepara a abertura de 8 a 10 lojas em Portugal em 2019

logo_mercadona_pt_quadrado

 

  • Depois de iniciar em 2016 o seu projeto de internacionalização em Portugal, o Comité de Direção da empresa aprovou, em agosto, a abertura de 8 a 10 lojas em Portugal em 2019.
  • O empenho de toda a equipa e a aprendizagem sobre o mercado e os consumidores portugueses, ao longo destes mais de dois anos de preparação desta primeira fase de internacionalização, motivam e permitem esta decisão de aumentar o número de aberturas inicialmente previsto no próximo ano.
  • Esta nova decisão vai refletir-se, nesta primeira fase, num investimento total de 100 milhões de euros e prevê a criação de 450 postos de trabalho que, somados aos 200 já existentes, totalizam 650 colaboradores em Portugal.

O Comité de Direção da empresa de supermercados Mercadona decidiu, com base no estabelecido para esta primeira fase de internacionalização, avançar com a abertura de 8 a 10 lojas em Portugal no segundo semestre de 2019 (o número final será definido em função da evolução das licenças e o avanço das obras).

A decisão surge passados mais de dois anos desde o anúncio da internacionalização para Portugal, durante os quais a empresa se dedicou a estudar e conhecer o mercado, os consumidores e os fornecedores portugueses. Esta aprendizagem, aliada ao empenho da equipa da Mercadona, permitem agora que a empresa possa anunciar a abertura de 8 a 10 supermercados no próximo ano, indo além do objetivo inicial das 4 lojas, anunciado em 2016.

As lojas vão estar localizadas nos distritos do Porto, Braga e Aveiro. Isto implica que aos 25 milhões de euros de investimento inicialmente previstos para esta fase somam-se agora mais 75 milhões, alcançando um total de investimento de 100 milhões de euros para o arranque da expansão em Portugal. Com o objetivo de garantir a preparação da entrada no país e a abertura destas lojas em 2019, a empresa prevê criar cerca de 450 postos de trabalho que, somados aos 200 já existentes, totalizam 650 colaboradores em Portugal.

Desde que anunciou a entrada em Portugal, a premissa da Mercadona tem sido sempre: “Em Portugal, queremos ser portugueses”. O primeiro grande passo foi a criação da sociedade Irmãdona Supermercados S.A., com domicílio fiscal em Portugal. A empresa tem sede no Porto, onde se situam os escritórios centrais, além dos existentes também em Lisboa.

escritorios-centrais-mercadona-porto

Sede social de Irmãdona Supermercados S.A., no Porto

Também foi iniciada a atividade no Centro de Coinovação, em Matosinhos; um macrolaboratório de ideias de 1.000 m2 que ajuda a equipa da Mercadona a definir, junto dos clientes portugueses, o sortido de produtos em Portugal, totalmente adaptado às necessidades deste mercado. É neste centro que as equipas de trabalho estudam ao detalhe os gostos e hábitos de consumo do “Chefe” português (como a Mercadona denomina os clientes).

A Mercadona está também a construir, em duas parcelas com uma área total de 50.000 m2 na Póvoa de Varzim, um bloco logístico que servirá para o desenvolvimento da atividade logística em Portugal.

Atualmente, a empresa conta com 200 colaboradores portugueses e continua com os processos de seleção de todos os postos inicialmente previstos.

“Todos estes factos confirmam que Portugal é uma grande oportunidade para iniciar o crescimento internacional da empresa, e estamos muito entusiasmados com a decisão e o desafio de um projeto com o qual estamos muito comprometidos”, manisfestou o Presidente da empresa, Juan Roig.

Quadro-resumo dos dados e compromisos para esta primeira fase até 2019

  2019
Número de lojas 8 – 10
Blocos Logísticos 1
Número de colaboradores 650
Investimento em Obras / Instalações > 100 M€
Compras a fornecedores portugueses > 70 M€

 

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

  Categoria: Newsletter, Notícias


Empresas já reciclam embalagens mas não conseguiram reduzir a utilização do plástico

2018-11-14_ahresp

 

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) divulgou, numa conferência realizada a 13 de novembro, os resultados de um inquérito à utilização de materiais descartáveis plásticos, que decorreu no âmbito de uma campanha denominada “Menos Plástico Mais Ambiente”. 93% das empresas do setor que responderam ao inquérito afirmam que reciclam as embalagens. No entanto, ainda não conseguiram reduzir a utilização do plástico, liderada pelas palhinhas.

Esta conferência , que marcou o encerramento desta campanha, contou com a participação de Jaime Braga, especialista da CIP em matérias de Ambiente. O debate, subordinado ao tema “Menos Plástico no canal Horeca” e moderado pelo jornalista Pedro Mourinho, contou, para além da CIP, com a participação de Ana Isabel Trigo Morais, da Sociedade Ponto Verde, José Manuel Esteves, da AHRESP, Jorge Henriques, da Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares (FIPA), e Nuno Oliveira, da Makro Portugal.

 

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

  Categoria: Assuntos Económicos, Destaque, Notícias


AEP – Debate ao Almoço com António Saraiva

2018-11-20

 

A Fundação AEP organiza, a 20 de novembro pelas 12h45, mais um DEBATE AO ALMOÇO, que terá como orador António Saraiva, Presidente da CIP – Confederação Empresarial de Portugal, que irá falar sobre Os desafios da Economia e do Associativismo Empresarial.

Programa
12H45 – Receção dos participantes
13H00 – Almoço
14H00 – Intervenção de António Saraiva, Presidente da CIP
14H30 – Debate
15H00 – Fim do almoço

Inscrições e Informações: cristinaguerra@fundacaoaep.pt

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

  Categoria: Agenda CIP, Notícias