Categoria: Assuntos Económicos



A importância de uma estratégia industrial real para o sucesso empresarial

industry-strategy_h3jyvq

 

A BusinessEurope publicou, no âmbito do Europe Industry Day, um vídeo que reúne exemplos reais da importância de uma estratégia industrial Europeia para o sucesso das empresas. A empresa portuguesa Grestel (http://www.grestel.pt), que fabrica artigos de mesa e acessórios de servir, deu o seu testemunho para este vídeo, por sugestão da CIP e da APICER – Associação Portuguesa das Indústrias de Cerâmica e de Cristalaria.

Veja o vídeo completo.

 

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

  Categoria: Assuntos Económicos, Destaque, União Europeia


CIP regista como positivas medidas anunciadas em Conselho de Ministros

2017-12-18_dv_o-estado-da-educacao

 

O Governo ouviu as propostas apresentadas pela CIP- Confederação Empresarial de Portugal e apresentou a 15 de fevereiro um conjunto de medidas com o objetivo de estimular a criação de emprego e a formação de recursos humanos qualificados e de aproximar as instituições científicas e académicas do tecido produtivo nacional.

“Há muito que a CIP vem trabalhando num conjunto de propostas, que temos vindo a apresentar ao Governo, que visam precisamente suprir a necessidade de formação e de qualificação de recursos humanos, essenciais à competitividade das empresas portuguesas. Grande parte destas medidas constam aliás do documento de reflexão que a CIP teve oportunidade de apresentar recentemente, “O Conceito de Reindustrialização, Indústria 4.0 e Política Industrial para o século XXI”, onde a CIP defende precisamente a necessidade de aproximar o conhecimento que é produzido no âmbito das instituições científicas e académicas do tecido produtivo nacional”, afirma o Presidente da CIP. António Saraiva nota ainda que: “Este foi um documento no qual a CIP trabalhou durante cerca de dois anos, durante os quais tivemos oportunidade de avançar muito do que ali está contido nas várias reuniões que fomos mantendo com os responsáveis governativos”.

É com satisfação que a CIP regista as medidas anunciadas pelo executivo em Conselho de Ministros, essenciais à criação de uma economia mais competitiva, assente no conhecimento e na inovação, dois ativos fundamentais no processo de reajustamento das empresas portuguesas aos novos paradigmas da Economia Digital e da Indústria 4.0.

Para António Saraiva, “é necessário que o Governo seja agora consequente com as medidas divulgadas, através de medidas de ação concretas para a implementação da estratégia hoje apresentada”.

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

  Categoria: Assuntos Económicos, Comunicados, Destaque


Código de Boas Práticas para a Cadeia de Abastecimento Agroalimentar

2018-02-09_codigoboaspraticas

 

Já está em funcionamento o portal www.boaspraticas.pt que visa implementar o Código das Boas Práticas para a Cadeia de Abastecimento Agroalimentar.

O Código de Boas Práticas é o resultado do compromisso assumido entre 6 entidades, representativas de todos os elos da cadeia agroalimentar: Confederação Empresarial de Portugal (CIP), Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (CONFAGRI), Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP) e Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED).

O Código das Boas Práticas tem como objetivo promover comportamentos comerciais leais e justos, e aplica-se às relações comerciais e aos contratos de fornecimento na cadeia de abastecimento agroalimentar em Portugal. Trata-se de um instrumento de autorregulação, de natureza voluntária e gratuita, e visa reforçar a cooperação e transparência, e assegurar a promoção da equidade e reciprocidade entre os parceiros dos setores da produção, da transformação e da distribuição de produtos agroalimentares.

Este Código inclui um conjunto de regras e procedimentos que proporcionam uma maior efetividade do processo de autorregulação, designadamente através da criação de um mecanismo eficaz de resolução de litígios entre os associados das Partes Subscritoras. Representa também a vontade das entidades subscritoras, em promover o desejável equilíbrio e cooperação no relacionamento comercial nos seus respetivos associados.

Através do portal www.boaspraticas.pt é disponibilizada toda a informação sobre o Código das Boas Práticas, assim como o processo de adesão por parte das empresas.

Partilhar...Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on LinkedIn

  Categoria: Assuntos Económicos, Destaque